- Boletim Ambiental - https://www.boletimambiental.com.br -

Sistema fará gestão da saúde das árvores

O Laboratório de Árvores, Madeira e Móveis do Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) está concluindo o desenvolvimento de uma ferramenta tecnológica, o ArBio (três programas de software) para promover um mapeamento da arborização das cidades, com dados de cada planta, localização, identificação botânica, situação dos troncos e raízes e infestação, no sentido de promover seu manejo. Sistema semelhante (Geosite) foi desenvolvido em Minas Gerais pela Google, em parceria com uma empresa local.

Somente de janeiro a abril do ano passado, mais de 1.500 árvores caíram na cidade de São Paulo, aumentando o nível da poluição atmosférica e sonora na cidade e, em muitos casos, resultando em acidentes e interrupção no fornecimento de energia elétrica. A capital paulista possui mais de 600 mil árvores.

O ArBio, que funcionará em plataforma móvel, terá a capacidade de analisar e gerenciar o risco de queda de uma árvore e a área que pode atingir, utilizando dados de altura e largura das copas, conceitos de biodinâmica e cálculos matemáticos para estimar probabilidade de queda para diferentes velocidades do vento.

Inicialmente, o ArBio vai ser implantado na cidade de Mauá, na grande São Paulo, dentro do Plano Diretor de Arborização Urbana, com o objetivo de manter atualizada a base de dados arborea da cidade. O ArBio em Mauá terá financiamento público, mas poderá ser disponibilizado gratuitamente para os demais municípios paulistas.

A coleta de dados para alimentar o ArBio será realizada por técnicos que serão treinados para essa função de inspeção das árvores. Já a análise dos dados será feita por biólogos, engenheiros florestais e agrônomos. A população poderá participar, solicitando poda e inclusão de uma árvore não cadastrada.

Link Curto: http://bit.ly/2EuwXRo [1]