Fan Page - Boletim Ambiental
Showcase Page - Boletim Ambiental
Boletim Ambiental

PANCs e o Peixinho da Horta

Santamaria Silveira

Quem deseja ingressar no universo das PANCs (Plantas Alimentícias não Convencionais), pode ter no “Peixinho da Horta” (Stachys byzantina) uma boa alternativa, pois é fácil de ser encontrado em entrepostos orgânicos.

Suas folhas lembram a sálvia, são verdes-prateadas e possuem uma película aveludada, além de leve cheiro e gosto de peixe. Essas folhas podem ser consumidas empanadas e fritas. Como toda PANC, o Peixinho é uma planta rústica, resistente a insetos e que não precisa de muitos cuidados para ser cultivada. É de fácil manejo.

No entanto, o que pode ser uma hortaliça pouco convencional em uma região do país, em outra pode ser amplamente consumida, fazendo parte da dieta da população local. Quando se fala de PANCs, o importante é lembrar da diversidade dessas plantas comestíveis, que incluem além da hortaliças, flores, frutos, raízes, sementes e cogumelos. É um universo inteiro a ser conhecido e apreciado.

Como bem coloca o biólogo, Valdely Ferreira Kinupp, em sua tese de doutorado, defendida na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, sobre as PANCs, que originou a designação das Plantas Alimentícias não Convencionais: “Muitas plantas são denominadas ‘daninhas’ ou ‘inços’ pois medram entre as plantas cultivadas, no entanto, são espécies com grande importância ecológica e econômica. Muitas dessas espécies, por exemplo, são alimentícias mesmo que atualmente em desuso (ou quase) pela maior parte da população. O mesmo é válido para plantas silvestres, as quais são genericamente chamadas de ‘mato’ ou ‘planta do mato’, as quais no entanto, são recursos genéticos com usos potenciais inexplorados”.

O banco de Germoplasma da Embrapa possui mais de 50 espécies de hortaliças PANC e tem como objetivo conservar e a preservar esse patrimônio nacional de nossa flora alimentícia, dotado de alto valor nutricional e sabor. Segundo os especialistas da Embrapa, o melhor meio de preservar as PANCs é pelo uso: conhecendo a planta, seu valor nutricional e consumindo-a.

Para a pesquisadora da Embrapa, Mariela Uzeda, o mundo consumia 10 mil espécies de plantas alimentícias e, atualmente, somente 12 espécies geram 75% dos alimentos consumidos em todo o planeta, sendo que o arroz, milho e trigo representam 60%. Ela lembra que a despeito de o Brasil deter 20% de toda a biodiversidade mundial, a maioria dos alimentos consumidos pelos brasileiros vêm de outros países e o conhecimento sobre as PANCs, espécies nativas, pode estar se perdendo.

Para conhecer mais sobre as PANCs, acesse a tese do pioneiro Valdely Kinupp, clique aqui

Link Curto: http://bit.ly/2AXc9jO

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*