Fan Page - Boletim Ambiental
Showcase Page - Boletim Ambiental
Boletim Ambiental

Horto Florestal será concedido por governo

Empresa que vencer concessão vai bancar manutenção, reformas de melhorias e segurança no Horto / Foto: Dirceu Rodrigues/SMA

Parques estaduais Cantareira, Jaraguá e Campos do Jordão também serão geridos por iniciativa privada

O governo estadual pretende concluir em até 30 dias os estudos de viabilidade financeira de concessão a empresas privadas de quatro parques atualmente administrados pela Secretaria do Meio Ambiente, sendo três deles na capital: Horto Florestal, Jaraguá e Cantareira. E a data do edital de licitação (concorrência) também deve ser divulgada em um mês.

A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) também quer repassar a uma concessionária a administração do Parque Estadual Campos do Jordão, na cidade turística de mesmo nome. E estuda conceder à iniciativa privada o Parque da Água Branca, na Zona Oeste da capital. O período de concessão dos parques ainda não foi divulgado.

De acordo com o secretário estadual do Meio Ambiente,  Ricardo Salles, os estudos podem ser concluídos em até 15 dias. E o governo estadual espera, só com a concessão dos três parques na Zona Norte (o Cantareira também abrange parte das cidades de Mairiporã, Caieiras e Guarulhos), economizar R$ 12 milhões anuais.

“Pretendemos economizar com os custos de manutenção, limpeza e vigilância. O setor privado também tem capacidade de contratar esse serviço com maior agilidade”, afirmou Salles, em vistoria na manhã de terça-feira (24) ao Horto Florestal.

O titular da pasta de Meio Ambiente informou que a contrapartida financeira para as concessionárias que assumirem a administração do parque seria a exploração de serviços como alimentação e entretenimento. “Seriam cobrados, por exemplo, clínicas de esporte, rapel e escalada – são serviços que terceiros oferecem a usuários do parque e eles pagam se quiserem usar”, explicou.

Salles destacou que as vencedoras da concessão também poderiam montar restaurantes e “serviços novos de entretenimento e educação ambiental”, que não foram especificados, podendo cobrar por eles.

Sobre o Parque da Água Branca, o titular da pasta informou que as tratativas já estão em andamento. “Recebemos mês passado uma manifestação de uma entidade privada interessada em ser o concessionário. Vamos publicar um chamamento, provavelmente no próximo mês, para que outros  interessados manifestem seus interesses e em que condições para explorá-lo”, completou.

Três lagos do parque vão passar por reformas

Na vistoria ao Horto Florestal, o secretário estadual do Meio Ambiente, Ricardo Salles, ainda informou que os três lagos do parque vão passar por um processo de desassoreamento para que o lodo acumulado em suas partes mais fundas seja retirado.

“Temos suspeitas de vinda de esgoto da região e poluição difusa para esses lagos que precisam ser desassoreados, retirando lodo que já vem se acumulando há muito tempo. É um trabalho conjunto da Sabesp, Prefeitura e governo do estado”, afirmou Salles.

O secretário preferiu não dar um prazo para o início das obras nem estimar um custo, mas disse que, assim que a limpeza dos lagos tiver início, o processo não deve durar mais de 120 dias.O córrego que deságua nos lagos do Horto  é o Pedra Branca. E quando chove muito, o lodo acumulado não permite que toda água que chega seja absorvida.

“O desassoreamento deve ser feito entre três e quatro meses  e tem dupla função: despoluir os lagos e fazer um controle de enchentes na região do Tremembé. Se for a dragagem completa dos lagos é um custo, mas se o desassoreamento parcial, o valor é mais reduzido”, finalizou Salles.

Link Curto: http://bit.ly/2kBx6Jx

Seja o primeiro a comentar esta notícia!

Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*